17 abril 2017

Texto - Cativou sabendo que não ficaria.

(Imagem da internet)

Senti vontade de te escrever e falar tudo que está preso em mim, mas já são quase cinco anos sem contato algum com você, não sei nada sobre você, nada que suas fotos não contem, nada que eu não busque no facebook e instagram. Eu realmente não sei nada sobre você, tudo isso que foi dito é supérfluo. Eu quero saber de você, mas que venha de você, eu quero saber da sua alma, mas não pela boca dos outros. Quero ouvir o seu timbre, e perceber que sua voz ainda é a minha melodia favorita.

Eu queria poder me desprender de você; te esquecer, assim como você me esqueceu e seguiu em frente. Eu queria viajar para todos aqueles lugares que só você sabe, queria realizar todos os sonhos que te falei, queria conhecer pessoas novas, eu realmente queria viver a minha vida sem pensar em você ao menos um segundo no dia. Definitivamente eu não aguento mais viver assim. Só queria uma vida tranquila, assim como era antes de você aparecer.

Você apareceu e me trouxe paz, calma na alma. Você sempre foi aquela calmaria em meio a tempestade, meu abrigo sempre que precisava. Quando você deu o ar da graça em minha vida, tudo mudou. Agora eu tinha um porto seguro, você me apresentou o que é amar e ser amado, você me trouxe os melhores sentimentos possíveis que existe na face da terra. Pra mim, você sempre foi tudo isso e mais um pouco.

Antes de você partir, você era meu mundo, e agora que você se foi, levou quase tudo, quase todos os sentimentos, só esqueceu de levar consigo o amor. Ahhh o amor, esse sentimento que ainda me prende a você, talvez tenha feito de propósito, me cativou sabendo que não ficaria, e como lembrança deixastes o amor. Sentimento esse que me sufoca dia após dia. Como havia dito, você me trouxe a paz, era calmaria nos meus piores dias, mas você se foi sem me dar tchau. A paz continuou? A calmaria se fez presente? Eu te respondo não para todas as perguntas. Você se foi e levou tudo, menos o amor. - Cleópatra Rodrigues.

Um comentário:

Raymara Milhomem disse...

Menina, que texto profundo. O titulo já me diz muito sobre amores, desamores, amizades... Imagino quantos são acostumados a cativar, seja por qual maneira for, sabendo que não poderá ou não quer ficar...
Beijo, www.raaymilhomem.com